sábado, 20 de novembro de 2010

Campanha na Índia estimula mulheres a se casarem apenas com quem instalar vaso sanitário

Deu no Portal R7

Na índia, 638 milhões de pessoas não têm vaso sanitário em casa, segundo a Unicef
Da EFE
Getty ImageGetty Image
Na Índia, 638 milhões de pessoas não têm vaso sanitário em casa


O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) destacou nesta sexta-feira (19) o sucesso da campanha "No toilet, no bride" ("Sem vaso sanitário, não me caso", em tradução livre), promovida pelo Estado de Haryana (norte da Índia) desde 2009. A ideia é convencer as famílias - que normalmente se encarregam de organizar os casamentos na Índia - que rejeitem os pretendentes de suas filhas que não aceitarem construir vasos sanitários em suas casas. A medida visa incentivar a higiene básica entre a população.
Desde o lançamento, a campanha levou à instalação de 1,4 milhão de vasos sanitários em domicílios. A iniciativa conta com apoio financeiro do governo, que custeia 80% da construção de banheiros nos domicílios mais pobres.
A diretora do departamento de desenvolvimento para mulheres e crianças de Haryana, Neerja Shekhar, disse que deu muito trabalho para criar consciência sobre a higiene, “mas nos demos conta de que envolvendo as mulheres seria mais fácil”.
- Graças à campanha, muitas famílias pobres agora têm um banheiro em suas casas.
Na índia, 638 milhões de pessoas não têm vaso sanitário em casa, segundo dados da Unicef. Em 1999, o governo indiano lançou um programa de quase R$ 5,17 bilhões (US$ 3 bilhões) que previa a construção de 118 milhões de banheiros, principalmente em escolas, creches e regiões rurais. Segundo dados oficiais, há dois anos ainda faltavam construir vasos sanitários em 115 milhões de lares rurais, por isso parece difícil cumprir o objetivo do governo de eliminar essa prática até 2012.
Em comunicado, a Unicef alertou sobre os riscos a que a população que defeca ao ar livre se expõe, como diarreia, malária e Aids, e calculou em 500 mil o número de crianças do sul da Ásia que morrem anualmente por causa das insalubridade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário